| Home | Turismo | Cultura | História | Guia Local | Hospedagem | Mapa | Humor | 360º |
Indique esta página

Cachoeira da Água Branca: patrimônio de um povo pluriétnico
Cachoeira da Água Branca
Seu paredão rochoso de granito verde e suas trilhas escondem ainda muito mistério e beleza, além de muitas histórias em torno de seu nome.

Com cerca de 200m de caída de água pura e cristalina a cachoeira da Água Branca, como é mais conhecida, mostra-se incrível e imponente, de beleza inigualável. Seu paredão rochoso de granito verde e suas trilhas escondem ainda muito mistério e beleza, além de muitas histórias em torno de seu nome.

Cuidada pela população local como ícone do seu processo de existência. Água Branca nasce das águas do Rio do Brilhante, já nas proximidades do Vale do Paraíba, foi sem duvida ponto de parada e descanso dos índios que aqui viviam ä séculos, depois pelos desbravadores europeus e negros indígenas, rota do trafego negreiro (assim como a Pedra Preta que ainda possui dois fornos de carvão para uso das fazendas da Cacandoca e Ruínas da Lagoa).

Com cerca de 9 km, a trilha e realizada aproximadamente 9 horas de caminhada (ida e volta). O local possui várias trilhas que levavam ao Vale do Paraíba, com dados mais frescos ainda do período escravocrata, do ciclo do café, da cana de açúcar e da troca de mercadorias. Em seu trajeto não é difícil encontrar vestígios deste período, basta observar trechos do caminho que afundou de tanto servir de passagem.

É de fácil visualização as orquídeas e bromélias que enfeitam o acesso e as aves e animais que habitam a mata atlântica. Alguns deles como o Tangará Dançador, ave símbolo do município de Ubatuba, sua plumagem é da cor da bandeira do município (vermelho, preto, azul e branco) e seu ritual de acasalamento é um espetáculo a parte. Inúmeras vezes há uma parada para um delicioso banho, pois além de quedas de águas pelo caminho encontramos poços de águas cristalinas e convidativas para um banho relaxante. Com nível de dificuldade alta e é recomendada a contratação de um guia local.

Vários outros procedimentos têm de ser seguidos, principalmente pela segurança dos visitantes e a conservação da mata.
Obedecendo as regras de segurança você terá sem duvida uma dos melhores passeios de sua vida.

Energia Hidroelétrica

Localização:

Visualizar Cachoeira da Água Branca em um mapa maior

No ano de 1957, alguns moradores foram contratados pelo governo para trabalhar em uma sondagem nas paredes de granito verde Ubatuba no entorno da cachoeira da Água Branca para fins de implantar um gerador de energia hidroelétrica ligada à represa de Paraibuna. Foram mais de um ano e cinco meses de pesquisas, utilizaram-se dois motores que gastavam cerca de 100lts de combustível, um a gasolina e outro a diesel, ate dinamites foram utilizados no local.

A comida saia do Sertão da Quina as 09h30min da manha para chegar ao local das sondagens às 11h30min, pelo caminho ainda recolhiam bananas do bananal do então Manoel Correia (Pai da Tia Rita, do Ditinho Correia, Maria Correia, da Iolampia, Zé Correia Velho, Tio Guido). O alivio foi quando o projeto da hidroelétrica ficou realmente ao lado da atual represa, já que a saída de água poderia ser para o lado do litoral, o que numa vasao de água da represa poderia inundar as casas e as rocas do Sertão da Quina e Maranduba. Trabalharam nas sondagens Sebastião Pedro de Oliveira, Antonio Pereira, Manoel Correia de Oliveira, Guido Correia, Emidio Luiz de Deus, Manoel Santana Benedito Luiz de Deus-Nanzinho, tio Kito.

Vale lembrar de que desde a construção da rodovia federal muitos tentaram tomar terras dos moradores locais e não diferente tentaram cercar as terras no entorno da Água Branca, a população não deixou e vários capangas foram expulsos, os últimos que tentaram foram ainda no inicio da década de 1980.

Recomendações

  • Contrate um guia local.
  • Planeje bem sua caminhada e informe a alguém sobre seu passeio.
  • Não leve lembrança que seja indesejável a floresta e a segurança do grupo.
  • Evite fazer barulho, desfrute dos sons da natureza.
  • Tire apenas fotos.
  • Traga todo o seu lixo de volta, deixe apenas pegadas.
  • Só leve o que puder trazer.
  • Proteja-se do sol, mosquitos, pernilongos. São comuns chuvas repentinas.
  • Cuidado para não causar incêndios na floresta.
  • Não corte nenhuma vegetação, consulte o guia.
  • Lembre-se o salvamento em áreas de floresta e muito caro e complexo.
  • Mantenha-se sempre na trilha, se for sair comunique o guia. Leve seu próprio suprimento de alimentos (alguns guias já oferecem o lanche de trilha).

Equipamentos necessários

  • tênis para trilha (não deve ser novo), capa de chuva, lanterna, repelente, protetor solar, recipiente para armazenar água, toalha, mochila pequena, troca de roupa e maquina fotográfica.
  • Um bom guia fará varias perguntas sobre a sua saúde e condições emocionais para avaliação dos procedimentos de segurança e precaução para realizar o passeio. Para isto o guia poderá solicitar a revisão dos objetos a serem levados pelo turista.

EZEQUIEL DOS SANTOS


A Central de Reservas

| Home | Turismo | Cultura | História | Guia Local | Hospedagem | Mapa | Humor | 360º |



©2010 Maranduba - Litoral Virtual Produções Multimídia - Contato: contato@maranduba.com.br
Sites do grupo: Litoral Virtual - Jornal Maranduba - PanoTour - Caraguá - Maranduba - Maré Legal - Truckmodelismo Brasil - ECampi